Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Bloco V8, suspensão a ar e detalhes encorpados revelam história deste Cadillac: é fácil chamar a garagem de porta-joias

Texto: Bruno Bocchini
Fotos: Aaron Fortuna

Um lindo diamante azul chamado “Blue Moon” foi vendido no final de 2015, em Genebra, na Suíça, por US$ 48,4 milhões – o equivalente a quase R$ 182 milhões. Um colecionador de Hong Kong adquiriu a peça e colocou um novo recorde de preço em pedras preciosas. Richard Burton deu um anel de diamante de 33,1 quilates para Elizabeth Taylor em 1968. Em dezembro de 2011, em um leilão, ele foi arrematado por US$ 8,8 milhões (cerca de R$ 30 milhões). Inserido no livro Guinness como o colar mais caro do mundo, “O Incomparável” tem um diamante do tamanho de um pequeno ovo e valor estimado de US$ 55 milhões (mais de R$ 170 milhões). Mas você deve estar se perguntando o motivo dessas informações aparecerem nesta página. Simples: se fosse joia, este Cadillac Series 62 Sedan fatalmente estaria exibido em algum tradicional espaço de leilões na Europa. E você vai entender o motivo – isso se já não compreendeu ao olhar as fotografias do automóvel.

A Série Cadillac 62 foi produzida de 1940 até 1964 (quando foi renomeado como Cadillac Calais, continuando sob esse nome até 1976). Originalmente concebido para substituir o nível de entrada Series 65, tornou-se a série Cadillac 6200 em 1959, e se manteve até ser chamado de Calais cinco anos depois. Conforto e requinte sobravam para classificar o modelo à época. Luciano Lacerda, brasileiro preparador e customizador de automóveis antigos nos Estados Unidos, é o proprietário desta versão sedã do Cadillac ao lado da esposa Tania Lacerda. Ambos somam esforços à frente da oficina Lucky Luciano Custom Paint, em Phoenix (Arizona).

O clássico foi adquirido há quatro anos. A ideia era restaurar, mas o excesso de trabalho na oficina complicava a ação. Um convite, inusitado, funcionou como fórceps para que o projeto saísse do pensamento e tomasse forma. “Em janeiro de 2015 fui convidado pelo gerente de marketing da Sherwin-Williams Automotive para participar do Road To SEMA 2016 representando a marca deles. Para isso, decidi acelerar esse projeto do Cadillac e representar em grande estilo”, conta Luciano.

A execução do trabalho não foi fácil. O automóvel estava em condições ruins, por esse motivo a restauração só iniciou em maio do ano passado. O primeiro passo foi desmontar o carro todo e levar para o jato de areia. Quando retornou da oficina a surpresa foi bem grande. “O piso e as partes debaixo das laterais estavam completamente corroídos pela ferrugem. Conseguir partes para este carro é muito difícil pela sua raridade. Então decidi comprar outra carroceria que se encontrava em melhores condições para uso. Foram necessárias muitas horas de chapeação e alinhamento para transformar dois em um”, explica.

Luciano quis manter o carro com originalidade, mas a mecânica foi completamente renovada. “Penso que a maior alteração foi a suspensão a ar. Para essa instalação nada foi recortado ou alterado no chassi. Muitas pessoas me perguntam se estiquei o comprimento do carro, mas não foi isso”, define.

Forjado e retrabalhado pelos “Deuses”

Responsável por garantir fôlego ao Cadillac, o bloco V8 390 conta com carburação Carter AFB, além da transmissão hidramática de quatro velocidades. “Um detalhe importante é que tanto o chassi, quanto o motor, diferencial e tanque de gasolina, além da suspensão, foram pintados da mesma cor do carro”, aponta.

Luciano escolheu a cor “Ivy Green Pearl”, da Sherwin Williams e acrescentou um pouco de Gold Pearl para produzir uma cor única, diferente. Essa escolha lhe rendeu muitos elogios na última edição do SEMA Show. “O comentário que mais ouvi foi: nunca imaginei ver um Cadillac verde metálico. Como não pensaram nisso antes, ficou perfeito! Essa cor, por ter pérola, muda muito a tonalidade dependendo da luz e as linhas do carro ajudam ainda mais visualizar essas tonalidades”, lembra.

As rodas e calotas são originais. As calotas foram pintadas em tom dourado com cromado e deram um toque de sofisticação acentuando a cor do carro e os pneus de banda branca (detalhe clássico do modelo).

O interior estava em péssima condição: molas saindo para fora, tampas quebradas e detalhes destruídos. “Tivemos que colocar muitas partes novas. Usamos duas tonalidades de couro bege (uma parte lisa e outra perfurada). O carpete também em tom bege deixou o interior uniforme produzindo um efeito muito interessante”, comenta.

Na parte interna do porta-malas Luciano instalou ainda um amplificador, alto-falantes da Rockford Fosgate e neon verde com abertura para poderem ser vistos. Ainda no porta-malas foi colocado um compressor e um tanque de ar de cada lado para o sistema de suspensão a ar. “É sem dúvida um clássico que chama muita atenção e desperta curiosidade principalmente pela cor e acabamento. Só tenho a agradecer os amigos que me ajudaram, tanto as equipes Sherwin-Williams, Switch Suspension, Rockford Fosgate, OPG, Cardenal Stereo, Chuck Bond, Roddin N Racin, Ned Wright, Joe Witte, Revista Hot Rods Brasil e em especial o nosso time da Lucky Luciano Custom e minha esposa Tania. Sou muito feliz por fazer parte de mais esse projeto”, conclui Luciano.

Dos passeios pelas ruas estadunidenses ao SEMA Show, difícil deve ser voltar para casa sem passar despercebido. Alguns vão dizer que “a grama do vizinho é sempre mais verde”. Mas para Luciano, o Cadillac também parece ser “mais verde”…

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA