Chevrolet Bel Air 1956: Um sonho de Chevy

203
Chevrolet Bel Air 1956
Chevrolet Bel Air 1956
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Depois de mais de 50 projetos, rodder finalmente realiza o desejo de restaurar Bel Air 1956

Texto: Vitor Giglio
Fotos: Ricardo Kruppa

Chevrolet Bel Air 1956

Para produzir cada uma das edições de Hot Rods, a equipe de Redação está diariamente em contato com leitores e rodders, de todos os cantos do país. Pessoas com os mais variados gostos e preferências, de diferentes sotaques e culturas, que, em comum, possuem o amor incondicional pelos veículos antigos e o respeito pela história que guardam e que continuam contando com o passar do tempo.

São histórias e relatos de vida que testemunhamos – ou mesmo que apenas ouvimos – e que tentamos transmitir com o máximo de precisão e isenção, de maneira que vocês, leitores, possam sentir como se estas estivessem sendo contadas diretamente para vocês, sem intermediários.

É contagiante a satisfação e a alegria com que a esmagadora maioria atende nossas investidas. E, por este motivo, é tarefa impossível para nós mensurar o amor e o carinho que cada um deles tem com seus carros e também com a arte que é personalizá-los e restaurá-los.

Os leitores mais assíduos de Hot Rods, porém, irão concordar e reconhecer que um dos leitores que encabeçam esta vasta lista de apaixonados é certamente o gerente de vendas Dirlei Rodrigues Martins, 58 anos. Um assumido aficionado por veículos raros e motores V8, Dirlei herdou do pai não apenas a predileção pelo segmento, mas também o hábito de trocar e colecionar carros. Três deles, aliás, já ilustraram nossas páginas em um passado não tão distante.

A bola da vez é um Chevrolet Bel Air de 1956. O motivo? O próprio Dirlei explica. “Esse carro era o sonho do meu pai. Infelizmente ele faleceu antes de possuir um. Esses carros continuam sendo caros, nunca foram baratos. Isso certamente dificultou”, admite o rodder.

Chevrolet Bel Air 1956
Chevrolet Bel Air 1956

Revitalizada

Adquirido em bom estado, e inteiro, mas bem longe do visual que Dirlei idealizava, o Bel Air já se encaixava na categoria dos street rods, mas acabou recebendo uma repaginação completa.

A parte externa consumiu boa parte do tempo e atenção dedicados ao Bel Air. A pintura foi retocada em dois tons: vermelho Córdoba e branco Loto. Os emblemas agora são todos novos e as lanternas traseiras são americanas. Todas as partes em alumínio do carro foram polidas e no visual também se destaca uma película de vidro na cor verde natural.

O centro das aletas das tampas de válvula foi pintado na cor do carro. O conjunto mecânico dispõe de radiador e escapamento novos. Foi trocado todo o conjunto de embreagem e o câmbio agora é oriundo do Camaro, com alavanca Hurst. O motor sob o capô é um V8 283 da Chevrolet, utilizado no Impala e no Corvette.

As rodas são Weld, de 15”, e rodam envoltas por pneus Cooper Cobra. O coletor de escape é assinado pela Hedman e o abafador é da Flowmaster. Na suspensão, foi adicionado um estabilizador Hankook. “O carro ficou muito confortável. Uso o carro para viajar, então ele teria que ser extremamente funcional”, explica Dirlei. A configuração mecânica atual leva o bólido para a casa dos 250 cavalos de potência.

Chevrolet Bel Air 1956
Chevrolet Bel Air 1956

Conforto

No interior, Dirlei não poupou esforços para agregar requinte e conforto aos passageiros. O painel original, que não funcionava, foi restaurado e todos os frisos de seu acabamento foram trocados. Um volante da Lenker foi instalado e agora um sistema de direção hidráulica conduz o Bel Air, que também recebeu equipamento de ar condicionado. Os bancos agora são individuais e reclináveis – oriundos do Chevrolet Omega – e toda a tapeçaria foi refeita na cor vinho: teto, carpete e laterais de portas.

Para quem já possuiu mais de 50 hot rods distintos, e acabou de realizar o sonho da pessoa que mais o influenciou a seguir por este caminho na vida, é um projeto de se tirar o chapéu. Dirlei pode afirmar que seus carros preferidos continuam sendo um El Camino 1973 e um Ford Coué 1938, mas certamente este Bel Air tem lugar de destaque no seu coração. E, a partir de agora, nos nossos também.

Quem fez:

Toca Garagem Custom. Tel. (12) 3346-3373

Vitor Couros. Tel. (11) 99241-2857.

Ficha técnica

Chevrolet Bel Air 1956

Parte externa

Pintura bicolor

Emblemas novos

Polimento

Película verde natural

Rodas Weld 15”

Pneus Cooper Cobra

Parte interna

Revestimento em couro

Bancos do Omega

Volante Lenker

Direção hidráulica

Ar condicionado

Mecânica

Motor V8 283

Câmbio do Camaro

Alavanca Hurst

Coletor Hedman

Abafador Flowmaster

Estabilizador de suspensão Hankook

VEJA TAMBÉM: Vídeo: Chevy 1934: Na pele!

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA