Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Carros “depenados” para ter seu peso aliviado e ganhar desempenho, Hi Boys se originam no movimento Hot Rod

Texto: Manoel G. M. Bandeira
Fotos: Divulgação

A tradução ao pé da letra, pelo menos para os aficionados por hot rods, é bem simples. Hi Boy quer dizer “carro sem os para-lamas, sem estribos e saias laterais e, eventualmente, sem o capô dianteiro”. Simples, não? Bem, temos de acrescentar um detalhe importante: os carros que mais harmonizam com este formato são os modelos anteriores a 1935 (sempre tomando como base a linha Ford). Mas esta regra tem raras exceções. A ideia de retirar os para-lamas e os estribos dos carros tem sua origem no início do movimento Hot Rod, em meados da década de 1920.

No começo, essas peças eram retiradas simplesmente para aliviar peso e melhorar a aerodinâmica, visando assim um ganho considerável no desempenho dos automóveis. A receita básica, na década de 30, era pegar um Ford modelo “T” (fabricado de 1915 a 1927) ou modelo “A” (fabricado de 1928 a 1931), depenar o carro, retirando tudo aquilo que não tivesse utilidade, ou que pudesse atrapalhar o desempenho nas corridas dos lagos secos ou mesmo na rua. Sem esse peso todo o desempenho já melhorava bastante. Porém, era necessário também melhorar a potência do motor, e assim surgiram muitos fabricantes de equipamentos de competição.

Época de ouro

A coisa funcionava mais ou menos assim: alguém tentava algo novo, usinava algumas peças e modificava o motor do seu carro. Se isso desse resultado, na mesma hora já tinha gente querendo comprar. Foi realmente uma época de ouro, na qual o conhecimento e a inteligência, aliados ao desejo de melhorar o que já existia, fizeram surgir muitos dos nomes que vemos estampados nas caixas de peças que eventualmente conseguimos importar para os nossos hot rods nos dias de hoje. Essa busca por desempenho, quase que exclusivamente, se deu até pouco depois da Segunda Guerra. Neste período os soldados que voltavam da guerra utilizavam seus conhecimentos adquiridos em treinamentos nas forças armadas para melhorar carros usados, geralmente velhos calhambeques da

década de 1930, pois não tinham dinheiro para comprar carros novos. Foi então que a estética passou a ter um peso maior na construção dos hot rods, pois o carro não poderia ser feito apenas para corridas clandestinas, mas deveria servir também para o uso diário da família.

Exótico

Os padrões de beleza muitas vezes são definidos pela comparação com algo que nos agrada. Para uma pessoa que nunca viu um “Fordinho” sem paralamas e estribos, um carro assim pode parecer completamente estranho e até mesmo exótico. Mas, para quem acompanha o automobilismo, principalmente os hots, esta visão lembra de imediato esportividade, desempenho e, principalmente, irreverência. Muita gente, apesar de adorar o visual Hi Boy, não faz um carro assim porque tem medo de utilizá-lo, temendo represálias por parte das autoridades.

32-Ford-Hiboy-5W-Coupe-01aFelizmente, hoje em dia, em muitas cidades do Brasil, os órgãos controladores de trânsito veem os hot rods como os carros históricos que são. Os hot rods são verdadeiros representantes de uma época de ouro, não só no mercado automotivo, mas também, e principalmente, na história da sociedade moderna. As pessoas adoram ver o colorido dos nossos carros embelezando as cidades, os hot rods são alegres e os rodders, geralmente, são pessoas que têm verdadeira adoração pelos carros em geral, então sempre procuram ajudar a quem precisa.

Os clubes de hot rods sempre promovem ações sociais arrecadando donativos e ajudando ao próximo, isso é visto com bons olhos e é assim que tem de ser. Além da arrecadação de donativos, os clubes podem e devem estar preparados para orientar a qualquer pessoa que tenha um carro alterado, que o lugar correto para testar potência é dentro de um autódromo e com toda segurança, nunca nas ruas. A revista Hot Rods tem um papel especial na divulgação do movimento Hot Rod, e mostra sempre que nosso hobby é saudável e muito útil. A verdade é que existe uma tendência muito grande a que sejam feitos muitos carros Hi Boy no Brasil nos próximos anos. Os motivos são óbvios: o coeficiente de diversão de um carro destes é enorme.

Os eleitos

Os modelos que ficam mais bonitos sem para-lamas são:

  • Ford 1932 Roadster
  • Hot rods36
  • Hot rods37
  • Ford 1932 Coupé 3 ou 5 janelas Ford modelo “A” (1928 a 1931) Roadster Ford modelo “A” 5 janelas Ford 1933 e 1934 Roadster Ford 1933 e 1934 coupé 3 ou 5 janelas Picapes das décadas de 1920 e 1930 também ficam muito bonitas sem os para-lamas.

É evidente que existem carros de outras marcas, como Chevrolet, Dodge, Studebaker, Essex etc, que também podem ficar muito bonitos no formato Hi Boy. Porém devemos admitir que os carros da Ford são a grande maioria dos Hot Rods Hi Boy que existem e, portanto, devem ser tomados como parâmetro. Há alguns anos, havia muita dificuldade em construir um carro Hi Boy pela total carência de carrocerias.

Felizmente alguns aficionados decidiram reproduzir carrocerias antigas em fibra de vidro, e hoje temos vários modelos disponíveis no mercado por um preço justo. Se você gosta desta categoria, vá em frente, faça também o seu Hi Boy. Nossos carros são legais e são muito requisitados para eventos e exposições. Se em sua cidade ainda existe algum tipo de preconceito, reúna seus amigos e promova encontros com fins beneficentes. Solicite à polícia de trânsito que ajude na organização. Organize encontros e passeios pela cidade sempre em parceria com as autoridades, desta forma conseguiremos mostrar que os hot rods são “do bem”. Afinal, eles são fruto da paixão de seus donos pelo seu hobby, e quem faz algo com tamanha paixão só pode utilizá-lo para o bem.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA