Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Ford COE 1946 recebe nova traseira e mecânica de Mitsubishi: resultado é o híbrido entre um truck e uma picape

Texto: Vitor Giglio
Fotos: Ricardo Kruppa

Ford COE 1946

COE – cab over engine – ou, simplesmente, cab over (cabine em cima), é a sigla utilizada para se referir aos primeiros trucks compostos pela chamada flat face (frente reta), que ao invés de possuir a motorização na frente, tinham o bloco do motor e seus componentes posicionados abaixo do cockpit.

Os primeiros modelos do tipo datam de antes de 1910, mas se popularizaram mesmo apenas nos anos 1960 e 70, sendo os preferidos até mesmo pelas companhias de Corpo de Bombeiros graças à disposição do motor, sob a cabine – que fazia sobrar ainda mais espaço para o transporte de equipamentos.

Ford COE 1946
Ford COE 1946

Know-how

Não é de hoje que Orlando Souza Piccoli, curitibano de 42 anos, empresário do ramo metalúrgico, estampa as páginas de Hot Rods com personalizações de caminhões COE. O especialista no assunto já construiu mais de 15 modelos distintos e a bola da vez é este modelo Ford 1946. “Há cerca de 10 anos comecei a ver programas na internet sobre customização de modelos antigos. Aquilo me inspirou e prontamente passei a fazer os meus próprios carros”, lembra Orlando sobre sua entrada oficial no universo dos hot rods.

O truck que estampa estas páginas é importado e tem origem norte-americana. “Mas não se enganem. Ele estava todo deteriorado. Todo original, na lata, mas deteriorado”, lembra Orlando.

Adeus, truck, olá, picape!

A ideia do especialista em COE era transformar o velho caminhão em uma nova e poderosa picape. Deste modo, a lataria foi toda recuperada e ganhou novos para-lamas, caixa de rodas e para-choques customizados. A parte traseira foi alargada em 3” e a caçamba foi reconstruída do zero.

A cabine foi recortada por baixo para se acomodar no chassi e foi adotada uma suspensão pneumática, com um sensor para cada roda. Desta maneira a nova “picape” pode ser nivelada automaticamente.

Na traseira, são utilizadas lâmpadas de LED importadas e na frente a iluminação é original de fábrica.

Itens como grade dianteira, para-choque, maçanetas, puxadores e detalhes das rodas de 15” receberam banho de cobre. Este tom contrasta com a pintura do modelo, um preto acetinado.  Os pneus, com faixa branca, medem 255 na frente e 285 atrás.

Ford COE 1946
Ford COE 1946

Novinho em folha

Se, por fora, o caminhão Ford já nem se parece mais com aquilo que já foi um dia, por dentro podemos dizer o mesmo. A tapeçaria foi inteiramente refeita e o novo revestimento é feito praticamente todo em couro.

O novo painel é do modelo Pajero Dakar 2015, e foi remodelado, e outros novos acessórios constam no projeto, tais como volante Banjo, coluna escamoteável e pedaleira da Art Billet. Vidro elétrico e alarme são outros itens adicionados.

Pronto para o rally!

A mecânica que embala o COE é toda da Pajero Dakar 2015. Ela é tocada por um motor Mitsubishi 3.2 turbodiesel com câmbio tiptronic automático de cinco velocidades. “A ideia era fazer do caminhão uma picape que pudesse rolar com segurança e conforto no dia a dia, tanto em estradas quanto na cidade”, garante o responsável pelo projeto.

No dia em que criarem a categoria protótipos para picapes no Rally Dakar, não estranhe ver este caminhão COE Ford camuflado competindo por lá. Condições ele tem, de sobra!

Quem fez:

COE Garage. Tel. (41) 99268-2065

Facebook: COE Garage

Ficha técnica

Ford COE 1946

Parte externa

Para-lamas customizados

Para-choques customizados

Caçamba personalizada

Traseira alargada

Acessórios banhados em cobre

Pintura preto acetinado

Pneus faixa branca

Rodas de 15”

Mecânica

Motor Mitsubishi 3.2

Câmbio Tiptronic automático – 5 velocidades

Suspensão pneumática

Parte interna

Nova tapeçaria

Forração em couro

Volante Banjo

Coluna Art Billet

Pedais Art Billet

Painel da Pajero Dakar

VEJA TAMBÉM: Vídeo: Caminhão Fargo 1948.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA