Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Picape Ford 1933 adquirida por roder paulistano é praticamente a única da sua espécie em solo brasileiro. Um privilégio para poucos

Texto: Flávio Faria
Fotos: Ricardo Kruppa

Picape Ford 1933

Os Fords da década de 30 são os maiores símbolos da cultura Hot Rod. Nos EUA, berço da cultura, o mercado de peças de reposição para esses carros de quase 100 anos de idade é incrivelmente vasto. Contudo, no Brasil, este tipo de modelo é difícil de ser encontrado. Claro que existem muitas réplicas em fibras, algumas tão bem feitas quanto as “gringas”. Mas originais, em lata são poucas. Ou para poucos. O roder paulista e restaurador Norberto Jensen, comandante da oficina Hot & Custons, é um feliz proprietário de uma picape 1933 hot “de raiz”, americana, de lata. “Este carro foi construído por um grande amigo meu. Depois passou por alguns roders, até chegar ao Marcos, de Itapecerica, que não pôde ficar com o carro por conta do pouco espaço interno, pois não comportava a família toda. Conversamos e ele resolveu vender para mim. Desde que estou com ele, modificamos poucas coisas, mas temos algumas ideias já para executar”, conta Norberto.

Mesma alma, diversos corpos

Um dos trunfos da Ford no início da indústria automobilística foi combinar diversos tipos de carros em um. Em vez de criar quatro ou cinco modelos, a montadora americana apostou na eficiência e, com um mesmo chassi, tinha os modelos roadster, “tudor”, “fordor”, picape e outros, à escolha do freguês. Essa medida diminuía os custos e acelerava o tempo de produção. As picapes eram escolhidas normalmente por quem trabalhava em fazendas, pela óbvia necessidade de carregar cargas. Contudo, com o tempo, essas carrocerias começaram a ser “reutilizadas” e transformadas em hots, se tornando a variedade mais charmosa da cultura.

O modelo de Norberto tem o estilo clássico dos hots americanos. O teto foi bastante rebaixado, em seis polegadas. A caçamba foi feita sob medida para o modelo e conta com assoalho de madeira. Os acessórios externos são todos originais do modelo. Lanternas e retrovisores foram adquiridos no Brasil mesmo. Segundo Norberto, não é tão difícil achar peças para este modelo, principalmente fora do Brasil. “Por ser um modelo muito cultuado nos EUA, é relativamente fácil de encontrar o que precisa”, conta. As rodas são 16”, originais do Fordinho, montadas em pneus importados, de faixas brancas.

Quase original

Por dentro, o visual do Ford se manteve quase original. Volante, painel e coluna de direção são originais do carro. Apenas os bancos foram modificados. “Para um maior conforto, tivemos que trocar por modelos originais por outros individuais, até por causa da altura do teto”, comentou Norberto. Os modelos estão revestidos com couro vermelho. Os instrumentos são originais.

Cabeça chata

No cofre do motor do Fordinho está outra relíquia da indústria automobilista americana, um propulsor V8 flathead. Com 3.8L de cilindrada, este tipo de motor não é conhecido pela grande performance, dificilmente ultrapassando os 100hp de potencia originais. Porém, são apreciados pelos roders não apenas pelo seu valor histórico, mas também por serem muito bonitos (o que é importante quando o motor fica exposto, como no caso deste Ford) e por terem um som muito marcante. Apesar do projeto antigo, os motores flatheads são tão queridos nos EUA que diversas empresas independentes criam peças de performance para este tipo de motor. E Norberto já está de olho no que irá trazer de lá. “Por enquanto ele está original, mas em breve colocaremos um coletor com tripla carburação, cabeçotes de alumínio, ignição e bomba elétrica de combustível”, conta.

A transmissão é original, com câmbio de três velocidades, mecânico. A suspensão também é original do carro. Inclusive, ele foi rebaixado direto nas molas. “Ele está muito bom de dirigir e até estável, se considerarmos que está com as peças originais. Para melhorar a estabilidade em velocidades maiores nós vamos instalar coil overs futuramente”, informa o roder.

Os freios, pasmem, são a tambor, originais do veículo, mas obviamente são novos e foram totalmente revisados, em nome da segurança.

Como todo projeto de Hot, Norberto já está pensando em algumas adições e modificações, mas nada que tire o valor histórico ou mexa na estética deste belo símbolo da cultura hot americana.

Ficha Técnica – Ford 1933

Parte externa

Teto rebaixado em 6”

Caçamba feita sob medida

Grade, faróis e lanternas originais

Rodas 16”

Pneus importados de faixa branca

Parte interna

Bancos individuais

Volante original

Coluna de direção original

Painel e instrumentação originais

Mecânica

Motor Ford V8 flathead

3.8L

100cv de potência

Câmbio mecânico de três velocidades

Freios originais

Suspensão original rebaixada

VEJA TAMBÉM: Ford T-Bucket: Bactéria nervosa!

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA