Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Para ter o máximo de exclusividade, AC3 Cars decide montar apenas três projetos com a carroceria Lakester. O “Verdinho” é um deles

Texto: Flávio Faria
Fotos: Ricardo Kruppa

Potência, segurança e exclusividade. Estas são três grandes metas que se deve perseguir em um projeto de hot rod. Figuras carimbadas nas páginas de Hot Rods, os projetos da AC3 Cars sempre primaram por esses conceitos. Com o “Verdinho” não é diferente. “Quando o Aurélio (Backo, construtor de carrocerias de Curitiba) nos apresentou o Lakester, decidimos que faríamos apenas três carros com esta carroceria. Dois foram nosso projeto e execução e um foi comprado por um cliente e feito sob encomenda. Nosso objetivo foi criar projetos exclusivos e cada um dos três traz características únicas”, explica Idini Gamballi Junior, proprietário da AC3 Cars e do “Verdinho”, apelido deste belo Lakester estilo old school.

Projeto relâmpago

Adquirido em 2011 e já em exposição no ano seguinte, o Lakester teve uma construção relâmpago, contrariando a máxima de que a pressa é inimiga da perfeição. Idini atenta para os desafios de se montar um projeto “do zero”. “Quando não se tem parâmetros para o resultado final, tudo é um desafio, desde como montar a linha de freio até como ter uma coluna de direção que privilegie a posição de pilotagem”, argumenta o proprietário, que fez questão de ser detalhista em cada ponto da construção. A carroceria em fibra projetada por Aurélio sofreu modificações na parte frontal e ganhou para-brisa exclusivo, feito sob medida para o modelo. “Detalhes como este são importantes, pois acreditamos que sempre se deve fazer algo especial ao criar um projeto. Montar um modelo só com partes adquiridas em autopeças pode transformar seu hot em um simples buggy de fibra, e não é isso que queremos”, salienta.

As peças de acabamento foram adquiridas no exterior, incluindo os faróis de época e as lanternas traseiras originais da Cadillac. A expertise da empresa para conseguir materiais também contou muito para a velocidade de execução do projeto. “Com mais de 10 anos de experiência de mercado, temos fornecedores no Brasil e no exterior que sempre nos dão todo o suporte necessário”, frisou. A cor, azul turquesa, cobre carroceria, rodas, grade frontal e até os eixos e tanque de gasolina (este, ainda adornado com um pinstriping), conferindo um visual chamativo e diferenciado. O cuidado extremo também foi dispensado às rodas de 15”. Originais da Ford Ranger 1999, as peças foram totalmente fechadas com “tampões” cortados a laser.

A ideia era conseguir um visual bonito, mas sem que elas tivessem mudanças significativas no peso, para que não houvesse a necessidade de muito chumbo para balancear. No processo, a roda dianteira ainda teve a bitola encurtada, para acomodar os pneus 5.60. Na traseira, o hot utiliza as medidas 255/60.

Simples e prático

Como todo Lakester, o “Verdinho” conta com um interior simples e funcional. Os bancos foram feitos sob medida e guardam um segredo: a parte inferior é escamoteável, que permite acomodar bateria e caixa de ferramentas. A forração é em curvin, mesmo material que reveste os forros de portas e o aro do volante estilo banjo, com centro cromado. O painel também é simples, mas feito com bom gosto. Pinstripings decoram o entorno dos instrumentos importados da marca Stewart Warner, modelos clássicos com fundo preto. O velocímetro mostra a velocidade em km/h, diferentemente de outros modelos vindos de fora. E o câmbio? Bom, esta é uma parte interessante da história. Automático, como veremos a seguir, tem a sua alavanca de acionamento localizada no exterior da carroceria, bem ao estilo old school, com direito a uma cabeça de pistão como adereço para a pegada.

Na medida certa

Utilizado em modelos Ford dos anos 50 até o começo da década de 70, o Y-block de 292” foi o escolhido pela AC3 Cars para integrar o projeto. São 4.8L de deslocamento em oito cilindros dispostos em “V”. Devido à sua potência original não ser nada desprezível, em torno de 150cv, e ter muito pouco peso graças à carroceria em fibra, Idini decidiu não investir em preparação, até para contribuir com a segurança. “Ele se comporta muito bem em qualquer condição, seja estrada ou cidade. Anda bem e para melhor ainda”, comenta, fazendo referência aos freios a disco. Por ficar totalmente exposto, a parte estética foi bem valorizada, com o uso de cromado no scoop e tampas de cabeçote na cor da carroceria. Os escapes, além de contribuírem com agressividade ao visual, ainda emitem um ronco alto e poderoso, pela sua ligação sem intermediários com os coletores.

O câmbio, como já dito, é automático, modelo C-4, e oferece bom aproveitamento da força do motor, tanto em condução tranquila quanto em pisadas mais vigorosas. A  suspensão dianteira foi feita com eixo rígido. Na traseira o sistema foi feito sob medida, com splitbones do Ford 37 e utilizando um feixe de molas especifico para este conjunto, aliado a dois novos amortecedores. Utilizado sempre que possível por Idini, nem o mau tempo o assusta. “Como sou de Curitiba, todos os dias tenho as quatro estações do ano, mas costumo andar sempre que possível”, conta o proprietário, que também costuma levar o filho para passear sempre que pode. Aliás, o garoto foi o responsável por batizar o Lakester. “Toda sexta-feira ele pergunta se vamos andar no Verdinho no final de semana”, ri o rodder.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA