Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Conheça um pouco mais dessa bela picape Ford, feita a partir do carro de passeio

Texto: Aurélio Backo
Fotos: Divulgação

Ford Ranchero

Para 1957, a Ford lançou duas novidades. Primeiro um luxuoso conversível com um inédito teto de metal dobrável que se escondia no porta-malas – o Skyliner. E, no extremo oposto, uma espartana, mas inédita, picape com base na carroceria do automóvel – a Ranchero.

A escolha do nome da picape foi muito adequada, pois significava, em espanhol, o trabalhador de fazendas de gado. Na tampa da caçamba havia até um emblema no formato de cabeça de gado.

A origem

Em 1955 a Chevrolet lançou a Cameo, uma versão da sua picape convencional com várias novidades de estilo. A mais notável diferença com a picape “normal” era a caçamba com as laterais na largura da cabine. O usual eram as caçambas estreitas com os para-lamas avulsos. Além disso, a Cameo tinha interiores coloridos, frisos externos decorativos e pintura em mais de uma cor. Esse lançamento mostrou que havia compradores para picapes mais luxuosas, que apresentassem as amenidades dos automóveis.

A Ford, ao invés de fazer uma picape parecer um automóvel, fez o contrário: transformou seu automóvel numa picape!

Ford Ranchero 1957: versão Custom tinha frisos externos a “standard” não.

1957

Em outubro de 1956, a Ford lançou a sua nova linha para 1957. Um automóvel 100% novo e que compartilhava apenas partes mecânicas com o modelo de 1956. Era mais longo e mais baixo e, em sintonia com seu tempo, ganhou rabos de peixe! Outros detalhes chamativos eram a ponta do para-lama dianteiro, que avançava sobre o farol, a coluna do para-brisa com ângulo invertido e a abertura da roda traseira em formato de semigota. Três detalhes que sugeriam movimento, mesmo quando o carro estava parado. Todo esse pacote de novidades da linha 1957 foi agregado à nova picape Ford Ranchero.  Construtivamente, a Ranchero compartilhava partes da station wagon de duas portas. Era ofertada em duas séries: standard e custom. A última versão era a mais equipada e custava apenas 51 dólares a mais (2,5% mais cara). Esses dólares adicionais acrescentavam ao modelo: frisos nas laterais, quebra-sóis duplos, aro de buzina e um interior mais luxuoso. Externamente as Custom podiam ser pintadas em dois tons, sendo um sempre o branco.

Donos de Ford mais antigos teriam dificuldade de abrir o capô do novo carro, pois esse, pela primeira vez, abria para a frente. Uma vez aberto, quatro motores poderiam aparecer dentro do cofre da picape. O menor de todos era um motor de seis cilindros em linha de 3,6 litros e 144 HP.  As demais opções eram motores V8 de 4,5 litros e 190 HP,  4,8 litros e 212 HP e, por fim, o maior, com 5,1 litros que poderia ser equipado com um compressor desenvolvendo então 300 HP.

No final da “safra” de 1957, 21.705 Rancheros foram vendidas. Uma quantidade pequena se comparada ao total de 1.633.688 automóveis Ford 1957 produzidos.

: Ford Ranchero 1957:pick-up, mas com o luxo do automóvel

1958

Para 1958, o Ford ganhou uma nova frente, que se inspirava no esportivo da marca, o Thunderbird. Pela primeira vez o Ford era equipado com quatro faróis, uma nova tendência da indústria automotiva. Assim como no T-Bird, sobre o capô do novo carro havia um scoop, mas que tinha função apenas decorativa. A picape Ranchero 1958 compartilhava todas essas novidades, exceto as quatro novas lanternas traseiras. A nova picape manteve as mesmas lanternas arredondadas da versão 1957. Se o novo estilo de iluminação fosse adotado, duas das quatro lanternas traseiras ficariam na tampa da caçamba. O manuseio da tampa aumentaria o risco de danificá-las. Os motores disponíveis para esse ano eram o motor de seis cilindros em linha de 3,6 litros e 145 HP, V8 de 4,8 litros e 205 HP, V8 de 5,4 litros e 265 HP e  V8 de 5,7 litros e 300 HP.

O ano de 1958 não foi um bom ano para todas as montadoras norte-americanas. E como a Ranchero já não era mais uma novidade, apenas 9.950 foram produzidas.

Ford Ranchero 1958: traseira manteve as lanternas redondas de 1957

1959

A indústria automobilística norte-americana sempre foi muito competitiva e agressiva, especialmente nesses anos dourados da década de cinquenta. E, para 1959, um Ford totalmente novo foi desenvolvido. Apenas o chassi e as partes mecânicas foram aproveitados do modelo anterior! O novo carro era extremamente elegante e foi agraciado com a medalha de ouro por “estilo excepcional” ao participar na Europa da Exposição Mundial de Bruxelas de 1959. Na frente os quatro faróis foram mantidos e a grade recebeu dezenas de estrelas suspensas. As luzes direcionais passaram da grade para as extremidades do para-choque. No topo das laterais traseiras foram incorporados tubos, que se assemelhavam a turbinas. Nas extremidades desses tubos eram instaladas as luzes de ré. As lanternas traseiras voltaram ao estilo circular de 1957, mas ficavam instaladas dentro de discos cromados enormes. As luzes traseiras pareciam autênticas turbinas! À noite o efeito era ainda maior, pois a luz vermelha da lanterna refletia nas paredes internas do disco cromado. A Ranchero 1959 ganhou todas as alterações de estilo do automóvel, inclusive as enormes lanternas traseiras. Os motores disponíveis eram os mesmos do ano anterior.

Ford Ranchero 1959: lanternas traseiras pareciam turbinas

Apesar de todas as novidades, apenas 14.169 Rancheros 1959 foram produzidas. E o ano de 1959 fecha a primeira geração da picape “automóvel” da Ford. A partir de 1960, a Ranchero passaria a ser feita com base no Falcon, um carro pequeno da Ford.

A Ranchero seria produzida até 1979, e nesses 23 anos fecharia um total de sete gerações.

VEJA TAMBÉM: Original – Chevrolet El Camino 1959-60: transportando com estilo!

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA